Entenda a situação eleitoral da cidade de Cajamar

O processo de cassação da chapa Paula Ribas e Dalete foi julgado procedente em Cajamar. Dessa decisão houve recurso de ambas perante o Tribunal Regional Eleitoral, que negou provimento ao Recurso Eleitoral e determinou o imediato afastamento de Dalete, razão pela qual, o presidente da Câmara Municipal tomou posse. Dessa decisão Dalete apresentou Ação Cautelar com o objetivo de permanecer no cargo e o Ministro Admar Gonzaga concedeu a liminar determinando a sua permanência no cargo.

Por sua vez, a defesa da “COLIGAÇÃO UMA NOVA HISTÓRIA PARA CAJAMAR” apresentou pedido de reconsideração ao Ministro Admar Gonzaga, bem como Agravo Regimental e Contestação, sob o argumento de que a decisão que concedeu a liminar foi equivocada, porquanto, a regra é no sentido de que após o julgamento do Tribunal Regional Eleitoral o afastamento deve ser imediato, nos termos do artigo 257, parágrafo 2º do Código Eleitoral, dentre diversos outros argumentos.

Nesse ínterim, o Ministério Público Federal, na pessoa do seu Vice- Procurador Geral da República, Dr. Luciano Mariz Maia, interpôs agravo interno apontando a gravidade das condutas de Paula Ribas e Dalete. Alegou, ainda, que houve equívoco do Ministro Admar Gonzaga, pois a liminar não poderia ser concedida, uma vez que o Recurso Especial sequer foi admitido pelo TRE, salientando que a liminar concedida milita em desfavor da sociedade, ao passo que a então prefeita poderia em tese trabalhar pela morosidade da Justiça, enquanto permanece no cargo conquistado mediante o emprego de grave conduta. Além disso, o Vice- Procurador Geral da República, ingressou com pedido de contracautela pedindo o julgamento do Recurso Especial em caráter de urgência e com preferência quanto aos demais processos, ante a gravidade da conduta e o caos na Cidade de Cajamar.

Para o leitor entender de forma bem simples, a partir de agora, a situação poderá transcorrer da seguinte forma: O Ministro Admar Gonzaga poderá reconsiderar a sua decisão e revogar a medida liminar, com isso Dalete deixaria imediatamente o cargo de prefeita e o Presidente da Câmara assumiria até novas eleições. Poderá o Ministro não reconsiderar a sua decisão e Dalete permanecer no cargo, mas deverá imediatamente encaminhar os autos dos Agravos Internos da defesa e do Ministério Público Federal ao Presidente do TSE, que encaminhará os autos ao plenário para julgamento do colegiado, os quais poderão manter ou cassar a liminar até o julgamento do Recurso Especial, que também deverá tramitar com prioridade, já que houve pedido expresso do Vice- Procurador Geral da República.

Gostou deste artigo?

Share on facebook
Compartilhe no Facebook
Share on twitter
Compartilhe no Twitter
Share on linkedin
Compartilhe no Linkdin
Share on email
Compartilhe no Email

Deixe seu comentário

Pergunte-nos qualquer coisa, a qualquer momento.

Nos envie sua mensagem que vamos responderemos o mais rápido possível.

  • Cajamar: Rua Waldemar Meira, 804 – Portal dos Ipês II
  • lima@limaadvogados.adv.br
  • (11) 4448-5129.
  • 8h às 17h | Segunta a Sexta

Copyright 2020 Copyright © Lima. (Lei 9610 de 19/02/1998)