Justiça: Cajamar terá tratamento de esgoto

Ação proposta pela Associação do Movimento Moradia, patrocinada pelo nosso escritório. O julgamento perante o Tribunal se deu em sessão especial em homenagem ao Dia Mundial da Água, com menção a diversos ativistas, dentre eles Martin Luther King.

O Tribunal de Justiça de São Paulo obteve a condenação da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) e da Prefeitura de Cajamar por conta da falta da rede de tratamento de esgoto.

A ação civil pública movida pela Associação Movimento Moradia de Cajamar e patrocinada pelo escritório de advocacia Lima Advogados foi aceita em primeira instância pela Juíza de Adriana Nolasco, e confirmada pelo TJ-SP condenando a Sabesp e Prefeitura na obrigação de promover a integral coleta e tratamento do esgoto produzido no Município de Cajamar.

A sentença também impede o despejo de dejetos em rios do município, isto é, proíbe que a Sabesp despeje esgoto sanitário nos rios e córregos da cidade. “Com está ação, a prefeitura e a Companhia de Saneamento Básico serão obrigadas a resolver o problema ambiental de Cajamar”, disse o advogado Edmilson Lima.

A Sabesp juntamente com a Prefeitura têm até dezembro de 2019 para cumprir todas as obrigações como determina a decisão do Tribunal. Se a empresa não cumprir ou não realizar as devidas atribuições, a Companhia de Saneamento Básico terá que pagar um valor de R$ 20.000,00 (vinte mil reais) por mês.

A Associação ingressou a ação civil pública em 02 de julho de 2009, alegando que em 28 de janeiro de 1980 foi firmado contrato de concessão entre os requeridos cujo escopo fora a implementação, ampliação, administração e exploração, com exclusividade, dos serviços de abastecimento de água e de coleta e destino final de esgotos sanitários no Município de Cajamar.

Ocorre que, conforme afirmação da Associação, não houve a devida implantação da rede de esgoto no Município de Cajamar, havendo apenas canalização parcial para levar os dejetos até o Rio ‘Juquery’. “Preconizou a associação requerente, ademais, que a falta da rede de tratamento de esgoto provoca diretamente a diminuição qualitativa das águas, em especial do Rio ‘Juquery’, que é o principal manancial da cidade”, diz a sentença.

Gostou deste artigo?

Share on facebook
Compartilhe no Facebook
Share on twitter
Compartilhe no Twitter
Share on linkedin
Compartilhe no Linkdin
Share on email
Compartilhe no Email

Deixe seu comentário

Pergunte-nos qualquer coisa, a qualquer momento.

Nos envie sua mensagem que vamos responderemos o mais rápido possível.

  • Cajamar: Rua Waldemar Meira, 804 – Portal dos Ipês II
  • lima@limaadvogados.adv.br
  • (11) 4448-5129.
  • 8h às 17h | Segunta a Sexta

Copyright 2020 Copyright © Lima. (Lei 9610 de 19/02/1998)